EUA “não foi atencioso o suficiente” à Líbia pós-Gaddafi, diz Obama em meio a novos bombardeios no país

por Pedro Marin | Revista Opera

1
219
(Foto: Yenny Muñoa / CubaMINREX)

Opresidente dos EUA, Barack Obama, disse na última terça-feira (2) que seu governo não foi “atencioso o suficiente” em relação ao vácuo de poder na Líbia depois da derrubada do governo de Muammar Gaddafi.

“Nós fizemos a coisa certa ao prevenir o que poderia ser um massacre, um banho de sangue na Líbia, e nós o fizemos como parte de uma coalizão internacional e sob mandado da ONU, mas eu acho que todos nós coletivamente não fomos atenciosos o suficiente para o que tinha de acontecer no dia após, e depois, para assegurar que existissem estruturas sólidas para garantir segurança básica e paz dentro da Líbia”, disse o Obama.

A declaração, feita durante uma coletiva de imprensa na Casa Branca, ocorre um dia depois de Obama ter autorizado uma série de novos bombardeios na Líbia, a mando do atual governo líbio, conhecido como Governo do Acordo Nacional (GAN).

“A absência de estabilidade ajudou a abastecer alguns dos desafios que nós temos visto em termos da crise de migração na Europa e também algumas tragédias humanitárias que temos visto nos mares entre a Líbia e a Europe”, disse o presidente após aprovar uma campanha de bombardeios de trinta dias contra o Estado Islâmico na Líbia.

Desde o começo da campanha, na segunda-feira, os EUA já fizeram sete bombardeios no país. Apesar da autorização para 30 dias, o Departamento de Defesa dos EUA admitiu que ela pode ser extendida. “Nós não temos um ponto final no momento”, disse o secretário de imprensa do Pentágono, Peter Cook, “mas nós esperamos que não leve um período significante de tempo.”