Em nova leva de sanções, Ucrânia bane redes sociais e canais de televisão russos

por Pedro Marin | Revista Opera

0
54
(Foto: U.S. Department of State)

Como parte de uma nova leva de sanções contra a Rússia, o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, assinou nesta terça-feira (16) um decreto que bloqueia o acesso a algumas das mais populares redes sociais no país.

O decreto estabelece que o acesso ao Yandex, um equivalente russo do Google que disponibiliza ferramentas de busca, mapas e email, além de redes sociais como Vkontakte (VK) e Odnoklassniki, será impedido. De acordo com uma pesquisa realizada no ano passado pelo Instituto Internacional de Sociologia de Kiev, algumas das redes sociais banidas são a mais populares na Ucrânia – como é o caso do Vkontakte, usado por mais de 60% dos usuários no país.

O decreto, descrito pelo site da Presidência da Ucrânia como parte das sanções econômicas contra a Rússia, em resposta à anexação da Crimeia e ao alegado apoio do país aos rebeldes do leste da Ucrânia, também inclui congelamento de ativos e o banimento de transmissão de canais de televisão russos como TV Tsentr, RBK, VGTRK, NTV-Plus, Zvezda, TNT, REN e ORT.

De acordo com alguns oficiais ucranianos, a medida tem também razões de segurança nacional. O parlamentar Volodymr Ariev, membro da facção política de Poroshenko, aplaudiu a medida dizendo que “os servidores dessas redes sociais russas guardam as dados pessoais, informações, movimentos, contatos e comunicações de usuários ucranianos.”

O líder do Comitê de Relações Exteriores da Duma (Câmara russa), Leonid Slutsky, disse que o decreto é “destrutivo e ilegal”, afirmando ainda que “tudo é feito para tirar forçadamente os cidadãos ucranianos do espaço de informação russo.”

Sanções

O decreto representa uma nova leva de sanções contra empresas russas. Em março, o estado ucraniano impôs sanções contra cinco bancos estatais russos, impedindo a retirada de seus capitais do país. A lista de companhias banidas e/ou sancionadas inclui a estatal de aviação Aeroflot, a Russian Helicopters e a exportadora estatal de armas Rosoboronexport.