Novas sanções são “declaração de guerra” por parte dos EUA, diz Coreia do Norte

por Pedro Marin | Revista Opera

0
257
(Foto: KCNA/Reuters)

O governo da República Popular Democrática da Coreia (RPDC – também conhecida como Coreia do Norte), por meio de seu Ministério de Relações Exteriores, lançou nesta quinta-feira (7) uma declaração em resposta às novas sanções impostas ao país pelos Estados Unidos, no qual diz que as considera uma “declaração de guerra.”

“Os EUA ousaram desafiar a dignidade da suprema liderança da RPDC, um ato que nos faz lembrar de um filhote recém nascido que não tem medo de um tigre. Essa é a pior hostilidade, e uma declaração aberta de guerra contra a RPDC […]”, diz o comunicado divulgado pela agência de notícias norte-coreana KCNA.

Por meio do comunicado, o Ministério de Relações Exteriores da RPDC exige que o governo norte-americano se retrate pelas sanções. Caso contrário, diz o documento, a RPDC encerrará todos os canais de contato diplomático com os EUA.

“Já que os EUA declararam uma guerra contra a Coreia do Norte, qualquer problema que surgir nas relações com os EUA serão tratados sob a lei de guerra deste último”, diz o documento, acrescentando que a RPDC “tomará as mais fortes contra-medidas para decididamente despedaçar a hostilidade dos EUA [contra a Coreia do Norte].”

Contexto

O governo dos Estados Unidos anunciou na última quarta-feira (6) a aplicação de mais sanções contra a República Popular Democrática da Coreia (RPDC).

As sanções, que foram impostas por supostos “abusos contra direitos humanos” por parte do governo do país, miraram pela primeira vez o líder norte-coreano Kim Jong-un, além de dez outro indivíduos não-identificados, e cinco ministérios e departamentos, e foram requisitadas pelo Congresso norte-americano, após um relatório sobre violações de direitos humanos ter sido apresentado pelo Departamento de Estado.