Presidente da Ucrânia ordena que tropas próximas à Crimeia e no Leste estejam preparadas para combate

por Pedro Marin | Revista Opera

0
271
(U.S. Army photo by Capt. Russell M. Gordon, 10th Press Camp Headquarters)

O Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, ordenou nesta quinta-feira (11) que todas as unidades militares próximas às fronteiras com a Crimeia e na região do leste do país (Donbass) estejam em alerta máximo e preparadas para possíveis combates.

As forças de segurança da Ucrânia na fronteira com a Crimeia estão “preparadas para qualquer mudança nos eventos”, disse o assessor do Serviço Fronteiriço da Ucrânia, Oleg Slobodyan.

A ordem ocorre um dia depois do Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) ter divulgado um relatório no qual acusa o governo ucraniano de estar por trás de uma série de atos de sabotagem na região da Crimeia, que se anexou à Rússia em 2014, incluindo a preparação do que o Presidente russo Vladimir Putin chamou de “atos terroristas.”

Leia mais: 5 coisas que a Netflix não nos disse sobre a Ucrânia

A Ucrânia, por sua vez, negou as acusações, dizendo que condena qualquer tipo de ação terrorista e declarando que o relatório do FSB era uma “provocação” por parte da Rússia.

Além do alerta, o Presidente ucraniano pediu que a população de seu país evite viajar à Crimeia, e informou que solicitou que o Ministério de Relações Exteriores entre em contato com Putin e com os representantes da Alemanha, França, EUA e do Conselho Europeu.

Processo de paz

A escalada de tensões entre os países pode levar a problemas nos acordos de paz sobre a guerra civil na Ucrânia. O acordo, conhecido como “Minsk 2”, seria rediscutido na próxima reunião do G20, na China. Putin disse ontem (10) que, levando em consideração o relatório do FSB, seria inútil discutir o processo de paz no formato atual.