Lindbergh diz que denunciará repressão em São Paulo à OEA

por Pedro Marin | Revista Opera

0
157
(Foto: Pedro Marin / Revista Opera)

O senador Lindbergh Farias (PT/RJ) anunciou nesta segunda-feira (5) que denunciará à Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA os atos de repressão por parte da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

“Nós não podemos aceitar essa escalada autoritária. Se a gente perder esse nosso direito de se manifestar livremente onde nós vamos? Qual será o próximo passo deles? Então essa coletiva tem esse sentido; é dar um basta! E anunciar um seguinte: nós não vamos nos intimidar”, disse o senador, que sustentou que o objetivo da repressão é assustar os manifestantes: “Sinceramente eu acho que o objetivo de tudo isso é passar para a população aquelas imagens, para tentar assustar, para tentar diminuir a força dos movimentos.”

O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa no Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo, após uma semana marcada pela repressão da PM contra manifestações contra o governo Temer. No domingo, uma manifestação que, de acordo com a organização, contou com 100 mil pessoas, foi atacada por policiais militares no momento de seu encerramento.

“O governador Geraldo Alckmin e o Governo Federal – particularmente através do Ministro da Justiça, Alexandre Moraes – não têm nenhum compromisso com a Constituição, com as liberdades democráticas, e não têm compromisso com a vida das pessoas, porque ali coloca-se em risco a vida das pessoas”, disse o secretário-geral da Intersindical e do operativo nacional da Frente Povo Sem Medo, Edson Carneiro Índio.

A coletiva contou também com a participação de representantes da Central de Movimentos Populares (CMP), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).