Obama diz que aumentará sanções contra Coreia do Norte

por Pedro Marin | Revista Opera

0
191
Foto: Korea.net / Korean Culture and Information Service (Jeon Han)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta terça-feira (6), após encontro com a presidente sul-coreana Park Geun-hye, que trabalhará com a ONU para aumentar as sanções contra a República Popular Democrática da Coreia (Coreia do Norte).

“Nós trabalharemos diligentemente com as mais recentes sanções da ONU, e vamos trabalhar juntos para ter certeza de que estamos cobrindo lacunas e fazendo-as ainda mais efetivas”, prometeu.

“A presidente Park e eu concordamos que é necessário que toda a comunidade internacional implemente essas sanções completamente e que responsabilizem a Coreia do Norte”, disse Obama, acrescentando que seu governo está disposto ao diálogo se a o governo norte-coreano “reconhecer suas obrigações internacionais e começar um processo de desnuclearização da Península Coreana.”

A declaração é feita após a RPDC ter feito o lançamento de três mísseis balísticos na última segunda-feira, considerados por Obama como “atos de provocação”. Até o momento, o país não respondeu às declarações de Obama, mas na última sexta-feira um porta-voz do Ministério de Relações Internacionais da RPDC acusou os EUA de fazer operações no Mar do Leste da Coreia, com submarinos nucleares, para identificar e localizar submarinos estratégicos do país.

“Isso é um ato perigoso de aumento de tensão na situação da Península Coreana, que ameaça a paz e a estabilidade regional”, disse o porta-voz.

COMPARTILHAR
AnteriorLindbergh diz que denunciará repressão em São Paulo à OEA
PróximoSão Paulo, Estado de exceção
23 anos, é editor-chefe e fundador da Revista Opera. Foi correspondente na Venezuela pela mesma publicação, e articulista e correspondente internacional no Brasil pelo site Global Independent Analytics. Tem artigos publicados em sites como Truthout, Russia Insider, New Cold War, OffGuardian, Latin America Bureau, Konkret Media e Periferia Prensa. É autor de "Golpe é Guerra - Teses para enterrar 2016".