Sobre os ataques à Revista Opera

Pedro Marin | Revista Opera

0
270

Como a maior parte dos leitores devem saber, nosso site foi alvo de ataques recentemente, que impossibilitaram nosso trabalho nas últimas duas semanas.

Dois dias após termos revelado que o ex-voluntário brasileiro na Ucrânia, Rafael Lusvarghi, havia sido preso ao realizar uma viagem após receber uma proposta de emprego de uma empresa ucraniana que tem ligações com a inteligência daquele país, recebemos um ataque DDoS (de acesso em massa), que derrubou nosso servidor. Em poucos dias resolvemos esse problema, contratando um novo servidor, mais potente e seguro.

Os problemas cessaram por alguns dias, mas logo voltamos a enfrentar outras falhas, desta vez no próprio sistema do site. Enfim, depois de duas semanas, resolvemos o problema, com a ajuda de pessoas que se prontificaram a ajudar a Opera, sem custos.

Por essas razões, pedimos desculpas aos leitores, em especial àqueles que têm contribuído, por meio de doações avulsas ou pelo Clube da Opera, para sustentar este projeto. Ressaltamos, no entanto, que não vamos parar com nosso trabalho, independentemente dos desafios que tenhamos que enfrentar por fazê-lo com tanto afinco.

Mais do que um pedido de desculpas aos leitores ou um aviso aos invasores, esse texto é um chamado à colaboração.

Em abril do próximo ano a Revista Opera completará cinco anos de existência. Nesses cinco anos dedicados a um jornalismo crítico, contra-hegemônico e independente, fizemos muito com pouco. Enviamos, com a ajuda dos leitores, um correspondente ao leste da Ucrânia, e tivemos também uma correspondente cobrindo o processo de paz na Colômbia, inclusive em acampamentos das FARC-EP. Demos início ao nosso programa de política internacional, o Posto Sul, e a cada dia que passa atingimos mais leitores, inclusive tendo artigos traduzidos e publicados no exterior. Cada vez mais temos nos aproximado de nossa pretensão: ser um farol de independência, em distinção com a grande mídia, mas também com outros veículos independentes, oferecendo uma opção sólida para quem deseja se informar e se formar à esquerda sob uma perspectiva radical.  Mas, para nós, ainda não é suficiente. Para o próximo ano planejamos realizar um documentário internacional, gravar mais programas em vídeo e melhorar o Posto Sul – além, é claro, de expandir nosso trabalho em texto.

Nenhum de nossos colaboradores, no entanto – e inclusive eu, que cumpro a função de editor -, tiveram qualquer ganho com esse trabalho. De fato, a situação de todos os colaboradores é a de trabalhar na Opera puramente por convicção; todos nós, sem exceção, trabalhamos também fora da revista para vivermos.

Para elucidar melhor a situação, decidimos expôr nossos dados: atualmente, conseguimos arrecadar por mês cerca de R$120,00. Somente para manter o site no ar, no entanto, temos um gasto mensal de R$132,50. Soma-se ainda os gastos com condução (para cobertura de manifestações e coletivas), equipamentos, etc. Ou seja: não só não temos ganhos, como temos gastos para manter este site.

Essa situação poderia ser diferente, com facilidade, se nos dispuséssemos a receber de fundações, ONGs, partidos ou empresas – mas preferimos manter a possibilidade de escrever o que quisermos, doa a quem doer. Temos criado modelos de financiamento nesse sentido, que têm contribuído muito para a expansão de nosso trabalho, como o Clube da Opera, mas, como mencionamos, ainda não são suficientes.

Por isso, recorremos à ajuda de nossos leitores para manter a sustentabilidade financeira do portal. Temos a pretensão de criar um modelo que possibilite garantir o sustento e a expansão do site, e para isso necessitamos, também, pagar os colaboradores. Aqueles que puderem e desejarem contribuir podem acessar esta página, e escolher a maneira mais conveniente (assinaturas, doações avulsas, etc).

Aos que não puderem contribuir financeiramente, pedimos que compartilhem o projeto com amigos. Que venham os próximos cinco anos!