As “sanções” dos EUA potencializam a indústria chinesa de chips

19 das 20 empresas da indústria de chips que cresceram mais rápido em média no mundo nos últimos quatro trimestres são provenientes da China. Por Misión Verdad – Tradução de Pedro Marin para a Revista Opera

0
478
Trabalhadora em Zhejiang, na China, trabalha em equipamentos de controle elétrico. (Foto: ILO Asia-Pacific)

A indústria de chips da China está crescendo mais rápido do que em qualquer outro lugar do mundo, depois que as “sanções” dos EUA a campeãs locais, como a Huawei Technologies Co. e a Hikvision, estimularam o apetite por componentes locais.

19 das 20 empresas da indústria de chips que cresceram mais rápido em média no mundo nos últimos quatro trimestres são provenientes da China, segundo a Bloomberg.

Esse crescimento superalimentado demonstra como as tensões entre Washington e Pequim estão transformando a indústria global de semicondutores, um setor valorado em 550 bilhões de dólares e que tem um papel descomunal em várias áreas, desde a Defesa até o advento de tecnologias como Inteligência Artifical (IA) e carros autônomos.

Em 2020, os EUA começaram a restringir as vendas de tecnologia estadunidense a empresas como a Semiconductor Manufacturing International Corp. e a Hangzhou Hikvision Digital Technology Co., contendo o crescimento destas empresas com êxito, mas também impulsionando um boom na fabricação e fornecimento de chips chineses.

Enquanto as empresas chinesas de chips lideraram o mundo em termos de crescimento médio de vendas nos últimos quatro trimestres, a indústria estadunidense está ficando para trás.

“Se Pequim desenvolver vantagens duradouras na cadeia de suprimentos de semicondutores, isso geraria avanços tecnológicos fundamentais que os Estados Unidos não poderiam igualar”, disse o ex-chefe da Google, Eric Schmidt.

 Leia também – A batalha dos chips: na guerra comercial contra a China, Taiwan é peão dos EUA